PORTAL
EDUCACIONAL

ACESSAR
CALENDÁRIO
2017

BAIXAR
16 agosto

Alunos, egressos e colaboradores da Faculdade participam da tradicional Festa

A Faculdade que mais cresce na região

Cursos autorizados pelo MEC

A festa mais tradicional de Bom Despacho acontece de 15 a 19 de agosto de 2013, há cerca de 150 anos e reúne 21 cortes locais. Durante este período a cidade recebe visitantes e até mesmo estudiosos interessados em conhecer ou estudar sobre esta manifestação folclórica, cultural e religiosa, a fim de realizarem pesquisas, estudos e acompanharem os ritos e cânticos presentes durante a festa.

As festas de Congado, também chamadas de Reinado ou Reisado do Rosário - tiveram início na antiga capital de Minas: Ouro Preto. Os principais pólos festeiros estão concentrados na região metropolitana de Belo Horizonte, Sete Lagoas, Montes Claros, Raposos, Oliveira, Bom Despacho e Dores do Indaiá. É considerado um momento de muita fé e devoção, tanto para os congadeiros, quanto para aqueles que participam com o intuito de pagar promessas.

De acordo com o Presidente da Associação do Congado de Tradições Mineira de Bom Despacho, José Geraldo de Paulo, a cidade chega a receber 32 guardas visitantes de cidades da região. José Geraldo também é membro do corte, Guarda dos Marinheiros, formado por 35 componentes. Ele ressalta que a festa sempre envolveu um grande número de pessoas e devotos, aumentando a cada ano os envolvidos. “A realização destes manifestos ajudam a preservar a memória dos nossos antepassados provenientes da África, mais especificamente, do Congo.

Há  alunos e colaboradores da Faculdade que participam da festa há alguns anos, dentre eles o colaborador do Setor de Apoio Operacional, João Ilton, que há 5 anos, dança no corte do Waldemar, por devoção a Nossa Senhora do Rosário. A aluna do 4º período de Arquitetura e Urbanismo, Giselle Rodrigues, juntamente com sua mãe e ex-aluna do curso de Fisioterapia, Dilene Marta Vieira, este ano serão “Rainhas Festeiras”, cujo nome é dado àqueles que, segundo a tradição, oferecem alimentos para algum corte durante a festa, seja um café ou almoço. Segundo ela, participar da festa é contribuir para a preservação da cultura e tradição local e ressaltou que chega a se emocinar ao ver a beleza da dança e o som dos tambores dos cortes.

Para Dilene Vieira é difícil ver em alguma outra manifestação cultural tamanha devoção à Nossa Senhora: uma fé e uma devoção que contagiam, além de uma grande dedicação de todos os Congadeiros devotos de Maria, que enchem o coração da gente de uma alegria enorme; além da beleza dos cantos, as roupas das pessoas. “São homens, mulheres, crianças, não tem idade, todos ali, em comunhão com todos e com tudo onde fazem toda a beleza da festa. É maravilhoso estar participando, podendo viver isso. Antes eu vivia uma experiência de fora, agora, posso dizer que estou vivendo de perto, participando da festa, é muito gratificante”.
 

NOTÍCIAS RELACIONADAS