PORTAL
EDUCACIONAL

ACESSAR
CALENDÁRIO
2017

BAIXAR
2 junho

Graduandos do curso de Arquitetura e Urbanismo discutiram a acessibilidade dura

A Faculdade que mais cresce na região

Cursos autorizados pelo MEC

No dia 20/05/14 os graduandos do curso de Arquitetura e Urbanismo, sob orientação da coordenadora do curso, Prof. Adriana Leão, realizaram uma aula prática sobre acessibilidade, nas dependências da faculdade.

Os alunos do 4º (quarto) período realizaram a atividade prática onde observaram os espaço acessíveis para elaborar projetos arquitetônicos adequados à todos. "Ao percorrer, banheiros acessíveis, rampas, circulações verticais, pátios, salas, biblioteca e cantina, os alunos tiveram a oportunidade de compartilhar as informações contidas na norma técnica NBR 9050-04 aplicadas no ambiente institucional, onde fizeram a análise dos ambientes da instituição com equipamentos utilizados por pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Atividades desta natureza permitem aos alunos interpretarem o espaço sob a ótica da pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida. A prof. Adriana ressaltou que “os alunos já tinham o conhecimento prévio do conteúdo teórico discutido em sala de aula sobre o assunto e puderam, a partir deste exercício, verificar no local, a aplicabilidade da legislação e norma técnica específica. Os alunos perceberam as sinalizações táteis de alerta e direcional para pessoas com dificuldade visual, identificação em braile, corrimãos de rampas com alturas diferenciadas (70 cm e 92 cm) para variados públicos, plataforma elevatória vertical para mudança de andar, banheiros acessíveis considerando dimensões condizentes para a pessoa sentada em cadeira de rodas e biblioteca com passagem livre de barreiras para todos.

As atividades serão finalizadas  a partir de um roteiro de vistoria pré-estabelecido, com a entrega de um relatório acerca das análises apuradas pelos alunos, com os dados do censo 2000, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística do IBGE, já que 14,5% da população possui algum tipo de deficiência. Neste sentido, é justificável que o futuro arquiteto e urbanista assuma sua responsabilidade de projetar espaços inclusivos.
 

NOTÍCIAS RELACIONADAS